Biblioteca

Independência Financeira: mitos e verdades

Recentemente recebi um e-mail de um leitor perguntando se quem é funcionário público pode ser considerado financeiramente independente. A resposta pode parecer simples, mas requer algumas considerações. Senão vejamos:

- O que é ser financeiramente independente?

Por definição, independência financeira é quando a soma das receitas (passiva + portfólio) é superior ao custo fixo mensal médio de forma vitalícia. Isso significa que a renda ativa (aquela que depende da atividade profissional) assume caráter de renda complementar, tornando-se opcional.

De forma bastante simplificada esse conceito pode ser explicado pela seguinte expressão:

Independência Financeira = Receita (Passiva + Portfólio) > Custo Fixo Médio Mensal

Esta relação nos permite dizer que - mesmo que uma pessoa perca o seu emprego e, por isso, fique sem a sua renda ativa - as suas demais fontes de renda serão suficientes para manter o seu estilo de vida para sempre.

Obviamente que fatores como a inflação, o aumento do custo de vida, a longevidade, a perda do poder aquisitivo, etc, também precisam ser analisados, contudo, tecnicamente, é possível considerar alguém nestas condições financeiramente independente, qualquer que seja a atividade profissional.

Por fim, é sempre bom lembrar que não basta apenas gastar menos do que se recebe. É fundamental saber multiplicar as economias.

Boa sorte!

» Leia Agora: Alugar ou financiar um imóvel? Separamos 7 dicas que poderão ajudar nesta decisão. Confira!

Nossa missão é contribuir para o sucesso financeiro e pessoal dos nossos clientes.

G9 Investimentos - Consultores Associados